Marina Paixão

RETROSPECTIVA

19 de Dezembro de 2019.

Lembro como se fosse ontem do meu fim de ano em 2018. Pensar que estamos prestes a embarcar em 2020 me assusta, e muito. Não sei para você, mas o ano de 2019 para mim passou rápido demais. Além disso, foi muito produtivo. Fiz coisas que jamais pensei que seria capaz de fazer.

Geralmente nos dias que antecedem a virada do ano, as pessoas costumam ficar mais emotivas e pensativas. Na maioria das vezes elas não terminam o ano satisfeitas com o seu desempenho e resultados. Passa aquele filme na cabeça do que foi feito, do que era pra ter sido feito e do que poderia ter sido feito. Comecei a pensar o que poderia gerar tanta insatisfação, e me lembrei de algumas pessoas que tive a oportunidade de observar e conversar esse ano.

Tem muita gente vivendo fora do seu propósito de vida, vivendo a vida de outras pessoas e ocupando lugares que não foram feitos para elas.

Esses são alguns pontos que eu observei:

  1. Excesso de passado

Observei que existe um grupo de pessoas que vivem focadas nos acontecimentos e traumas do passado e não conseguem desfrutar o presente e as possibilidades que aparecem diante delas todos os dias. Elas vivem presas no que já aconteceu e não conseguem traçar novos caminhos. Elas não perdoam a si mesmas e nem os outros.

  1. Excesso de futuro

Observei que outro grupo de pessoas vivem focadas em seus futuros projetos, mas não conseguem colocar no papel e muito menos colocar em prática os primeiros passos. Elas não têm problema com o passado, mas vivem tão ansiosas com o futuro que perdem o brilho do presente.

  1. Zona de conforto

Observei que outro grupo de pessoas vivem estagnadas. Não gostam do lugar onde moram, do trabalho que executam, dos relacionamentos que cultivam, da condição financeira em que se encontram, mas não tem força/foco para mudar o cenário. É mais fácil permanecer onde estão, afinal, já conhecem as jogadas, o caminho, e não precisam se esforçar com nada. Algumas até tem vontade de mudar, mas o medo de arriscar sempre fala mais alto.

  1. Medo/Insegurança

Observei que outro grupo de pessoas sabem o que querem, onde deveriam estar e fazendo o que deveriam fazer, contudo, tem medo.

Medo de dar errado, de ser difícil. Medo de não serem capazes.

 

Um dos meus maiores aprendizados esse ano foi ter percebido e valorizado o presente, o hoje, o aqui e o agora. Me considero uma mulher muito visionária, mas o medo de não conseguir sempre me atrasou, e eu acabava passando mais tempo imaginando os meus sonhos do que de fato dando o start neles. Ano após ano eu sonhei, sonhei, sonhei e nunca realizei.

Eu termino o ano de 2019 muito alegre, por tudo que Deus me permitiu viver, aprender, inclusive os erros! Muitas vezes a gente não gosta dos desafios e dos tropeços, mas são eles quem nos levam para o próximo nível! Eu termino esse ano com a certeza de que fui totalmente cercada pela bondade do Senhor, e mal posso esperar pelo próximo semestre! Viver é bom demais para simplesmente deixarmos os dias passarem sem nenhum sentido…

Você pode olhar para os últimos 12 meses com várias perspectivas, mas quero te convidar a enxergá-los com gratidão e muita expectativa para os próximos 12.

Jesus é contigo!